Trabalhadores de enfermagem que atuam em centro cirúrgico sentem dor musculoesquelética

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5327/Z1414-4425202100040006

Palavras-chave:

Enfermagem, Centro Cirúrgico, Dor Musculoesquelética

Resumo

Objetivo: Avaliar a intensidade da dor musculoesquelética e as regiões anatômicas comprometidas referidas por profissionais de enfermagem
atuantes em um centro cirúrgico hospitalar. Método: Estudo transversal, descritivo e quantitativo, desenvolvido com profissionais de enfermagem que
atuam no centro cirúrgico de um hospital geral. A coleta de dados ocorreu entre dezembro de 2019 e março de 2020, mediante aplicação de questionário sociodemográfico, laboral e clínico, Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares e Escala Numérica de Avaliação da Dor. Resultados:
Participaram do estudo 25 profissionais de enfermagem. A maioria é mulher, na faixa etária de 31 a 40 anos, casada e com filhos. As regiões anatômicas
mais acometidas pela dor musculoesquelética no último ano foram lombar, tornozelos e pés, ombros e pescoço, e, nos últimos sete dias, o maior percentual de dor foi na região lombar. Apenas pequena parcela dos trabalhadores referiu não sentir dor nos últimos dias. Conclusão: A dor referida pelos
participantes compromete suas atividades laborais. A intensidade da dor expressa sofrimento profissional, com risco de cronificação e desencadeamento
de outras patologias, até mesmo autoimunes.
Palavras-chave: Enfermagem. Centros cirúrgicos. Dor. Dor musculoesquelética.

Biografia do Autor

CARMEN CRISTIANE SCHULTZ, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção Integral à Saúde UNICRUZ/UNIJUÍ. Analista Enfermeira Fiscal do Conselho Regional de Enfermagem do RS.

Milena Bernardi de Freitas, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Graduanda em Enfermagem pela UNIJUÍ, Ijuí/RS

Loretta Vercelino, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Graduanda em Enfermagem pela UNIJUÍ, Ijuí/RS

Patrícia Treviso, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul : Porto Alegre , RS , BR

Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde. Docente do curso de graduação em Enfermagem (IPA) e UNISINOS. Docente e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Enfermagem da UNISINOS. Porto Alegre/RS.

Christiane de Fátima Colet, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Farmaceutica, Doutora em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre. Docente do Departamento de ciencias da Vida (DCVida) - UNIJUÍ, do Programa de Mestrado em Sitemas Ambientais e Sustentabilidade - UNIJUÍ, e do Programa de Mestrado em Atenção Integral a Saude -UNIJUÍ/UNICRUZ e Coordenadora do curso de farmácia da UNIJUÍ.

Eniva Miladi Fernandes Stumm, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Enfermeira, Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo. Docente de graduação em Enfermagem e de Pos Graduação Lato sensu em UTI, CC, RPA e CME e em Saúde Mental. Atua também na Pos  Stricto Sensu, Mestrado em Atenção Integral a Saúde- PPGAIS e  Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade -PPGSAS.

Referências

Freitas JRS de, Lunardi Filho WD, Lunardi VL, Freitas K da SS de. Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em profissionais de enfermagem de um hospital universitário. Rev Eletrônica Enferm. 2009;11(4):904. http://revistas.ufg.emnuvens.com.br/fen/article/view/5240

Saçala R, Luvizotto J do R, Oselame GB, Neves EB. Distúrbios osteomusculares relacionados ao processo de trabalho no atendimento pré-hospitalar. Rev Universidade Vale Rio Verde. 2017;15(2). http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/3085

Silva I, Alves N, Nogueira M, Mendonça R, Alves F, Alves A, et al. Incidência dos sintomas osteomusculares relacionados ao trabalho da equipe de enfermagem do Hospital Santa Gemma/AFMBS. Rev Eletrônica Fac Montes Belos . 2016;9(2). http://revista.fmb.edu.br/index.php/fmb/article/view/223

Maciel Júnior EG, Trombini-Souza F, Maduro PA, Mesquita FOS, Silva TFA da. Self-reported musculoskeletal disorders by the nursing team in a university hospital. BrJP. 2019;2(2):155–8. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2595-31922019000200155&lng=en&nrm=iso&tlng=en

Almeida CG da STG de, Fernandes R de CP. Distúrbios musculoesqueléticos em extremidades superiores distais entre homens e mulheres: resultados de estudo na indústria. Rev Bras Saúde Ocupacional. 2017;42. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0303-76572017000100202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Sanchez HM, Gusatti N, Sanchez EG de M, Barbosa MA. Incidência de dor musculoesquelética em docentes do ensino superior. Rev Bras Med Trab. 2013;11(2):66–75. http://www.rbmt.org.br/details/70/pt-BR/incidencia-de-dor-musculoesqueletica-em-docentes-do-ensino-superior

Magnago TSB de S, Lisboa MTL, Griep RH, Kirchhof ALC, Guido L de A. Aspectos psicossociais do trabalho e distúrbio musculoesquelético em trabalhadores de enfermagem. Rev Lat Am Enfermagem. 2010;18(3):429–35. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-11692010000300019&lng=es&nrm=iso&tlng=en

Magnago TSB de S, Lisboa MTL, Souza IE de O, Moreira MC. Distúrbios musculo-esqueléticos em trabalhadores de enfermagem: associação com condições de trabalho. Rev Bras Enferm. 2007;60(6):701–5. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0034-71672007000600015&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Moen BE, Wieslander G, Bakke JV, Norbäck D. Subjective health complaints and psychosocial work environment among university personnel. Occup Med. 2013;63(1):38–44. https://doi.org/10.1093/occmed/kqs188

Silva MR da. Constrangimentos ergonômicos em profissionais de enfermagem: contribuições da Ergonomia em centro cirúrgico. [Mestrado Profissional Em Ergonomia]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2018. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/32862

Silva MC de A. Queixas osteomusculares, fatores de riscos psicossociais e organizacionais que afetam a saúde dos profissionais de enfermagem da central de materiais e esterilização de um hospital universitário. [Mestrado Profissional Em Ergonomia]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2018. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/32141

DATASUS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde [Internet]. [citado 6 de janeiro de 2021]. Disponível em: http://cnes.datasus.gov.br/

Nascimento JCC do. Avaliação da dor em paciente com câncer em cuidados paliativos a luz da literatura. Saúde Ciênc Em Ação. 2017;3(1):11–26. https://revistas.unifan.edu.br/index.php/RevistaICS/article/view/329

Barros ENC, Alexandre NMC. Cross-cultural adaptation of the Nordic musculoskeletal questionnaire. Int Nurs Rev. 2003;50(2):101–8. 10.1046/j.1466-7657.2003.00188.x

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012 [Internet]. [citado 5 de janeiro de 2021]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Brito CF, Pinheiro LMG. Caracterização do desconforto físico relacionado à ergonomia em profissionais de enfermagem do centro cirúrgico. Rev Enferm Contemp. 2017;6(1):20–9. https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/1137

Schmidt DRC, Dantas RAS. Qualidade de vida no trabalho e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho entre profissionais de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2012;25(5):701–7. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002012000500009&lng=pt&tlng=pt

Moura MI, Martins MM, Ribeiro O, Gomes B. Estilos de vida dos enfermeiros e queixas musculoesqueléticas. Supl Digit Rev ROL Enferm. 2020;43(1):189–95. https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/31422/1/189-195.pdf

Gomes L de C, Dutra KE, Pereira AL de S. O enfermeiro no gerenciamento do centro cirúrgico. Rev Eletrônica Fac Metodista Granbery. 2014;(16). http://re.granbery.edu.br/artigos/NTEy.pdf

Vidor C da R, Mahmud MAI, Farias LF, Silva CA, Ferrari JN, Comel JC, et al. Prevalence of musculoskeletal pain among nursing surgery teams. Acta Fisiátrica. 2014;21(1):6–10. https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/103819

Cargnin ZA, Schneider DG, Vargas MA de O, Schneider IJC, Cargnin ZA, Schneider DG, et al. Atividades de trabalho e lombalgia crônica inespecífica em trabalhadores de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2019;32(6):707–13. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0103-21002019000600707&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Sousa F das CA, Tinoco KF, Siqueira HDS, Oliveira EH de, Silva WC da, Rodrigues LA de S. Lesões músculo esqueléticas relacionadas ao trabalho da enfermagem. Res Soc Dev. 2020;9(1):e78911656–e78911656. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7342223

Oliveira ALG, Azevedo AD de, Souza AS de. Riscos e doenças ocupacionais que acometem a equipe de enfermagem do centro cirúrgico. Rev trab acadêmicos - universo campos goytacazes. 2018;1(10). http://www.revista.universo.edu.br/index.php?journal=1CAMPOSDOSGOYTACAZES2&page=article&op=view&path%5B%5D=5966

Valente GSC, Souza AS de, Ferreira LHF, Silva AH. Occupational diseases: absenteeism for the prevalence of pain in the musculoskeletal system in nursing professionals working in the surgical center. Rev Enferm UFPE Line. 2010;4(4):1669–74. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/6348

Publicado

2022-04-08

Como Citar

SCHULTZ, C. C., Freitas, M. B. de, Vercelino, L., Treviso, P., Colet, C. de F., & Stumm, E. M. F. (2022). Trabalhadores de enfermagem que atuam em centro cirúrgico sentem dor musculoesquelética. Revista SOBECC, 26(4). https://doi.org/10.5327/Z1414-4425202100040006

Edição

Seção

Artigos Originais