Gestão de custos no centro cirúrgico: impacto financeiro e perda de receita

Mayara Martins de Sousa, Rachel de Carvalho

Resumo


Objetivo: Elencar os materiais de maior impacto financeiro no centro cirúrgico e estimar a perda de receita que representaram para a instituição.
Método: Pesquisa retrospectiva e quantitativa, com coleta em banco de dados e planilhas do centro cirúrgico e garantia da receita dos anos de 2015 e
2018 de uma instituição privada de extra porte de São Paulo. Resultados: Os materiais que causaram maior impacto financeiro foram: Sevorane®, Plasma
Lyte®, manta térmica, sensor de monitor bispectral, máscara de anestesia, caneta para bisturi, perneira Sequel® e placa para bisturi. Representaram perda
financeira de R$ 342.473,00 em 2015, quando ainda não havia a prática de auditoria in loco, comparada ao valor de R$ 114.157,00, em 2018, após ação de
conferências em sala operatória. Conclusão: Houve benefício financeiro alcançado com a prática da auditoria in loco, com declínio de 66,6% na quantidade
de materiais e medicamentos excluídos pela auditoria em razão da elevação da qualidade das anotações em prontuário.


Palavras-chave


Centro Cirúrgico

Texto completo:

PDF PDF/A (English)

Referências


Castilho V, Castro LC, Couto AT, Maia FOM, Sasaki NY, Nomura FH, et al. Levantamento das principais fontes de desperdício de unidades assistenciais de um hospital universitário. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(n.esp):1613-20.

Castro LC. O custo de desperdício de materiais de consumo em um centro cirúrgico. [tese]. Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo. São Paulo; 2012 [citado 2019 Jan 28]. 123p. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n6/pt_0104-1169-rlae-21-06-01228.pdf.

Silva, MJN. Ribeiro, AL. Gestão em centro cirúrgico: identificação de desperdícios. Rev. SOBECC 2016; 21(2):82-9.

Limoeiro ACO. Processos de auditoria no bloco cirúrgico. In: Carvalho R. Enfermagem em centro cirúrgico e recuperação anestésica. Manuais de especialização. Barueri: Manole; 2015. p.282-9. Capítulo 14.

Falk JA. Gestão de custos para hospitais: conceitos, metodologias e aplicações. São Paulo: Atlas; 2011.

Motta, ALC. Auditoria de enfermagem nos hospitais e operadoras de planos de saúde. 6ªed. São Paulo: Iátria; 2013. p.166-9.

Guerrer GFF, Lima AFC, Castilho V. Estudo da auditoria de contas em um hospital de ensino. Rev Bras Enferm. 2015; 68(3):358-63. DOI: 10.1590/0034-7167.2015680306i

Lana LD, Ferraza CAC, Quadros JN, Birrer JA. Auditoria em organizações prestadoras de serviço: uma estratégia de gestão econômica. RAS. 2012; 14(56):103-8.

Scarparo AF, Ferraz CA. Auditoria em enfermagem: identificando sua concepção e métodos. Rev Bras Enferm. 2008; 61(3):302-5.

Bessera EP, Alves MDS. Pesquisa sobre auditoria em serviços de saúde. Rev Adm Saúde. 2009; 11(44):143-8.

Pinto KA, Melo CMM. A prática da enfermeira em auditoria em saúde. Rev Esc Enferm USP. 2010; 44(3):671-8.

Duarte LTD, Saraiva RA. Quando o índice bispectral (BIS) pode fornecer valores espúrios. Rev. Bras. Anestesiol. 2009; 59(1):99-109. [citado 2019 Nov 10]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942009000100013.

Nunes RR, Fonseca NM, Simões CM, Rosag DM. Consenso brasileiro sobre monitoração da profundidade anestésica. Rev Bras Anestesiol. 2015 [citado 2019 Nov 10]; 65(6):427-36. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rba/v65n6/pt_0034-7094-rba-65-06-00427.pdf

Sevorane [bula]. Buenos Aires – Argentina: Abbott Laboratories Argentina AS. 2017; 1-8.

Bernardis RCG, Silva MP, Gozzani JL, Pagnocca ML, Mathias LAST. Uso da manta térmica na prevenção da hipotermia intraoperatória. Rev Assoc Med Bras 2009; 55(4):421-6.

Motta ALC. Auditoria de enfermagem nos hospitais e operadoras de planos de saúde. 6ªed. São Paulo: Iátria; 2013.

Pereira PM, Porto AR, Thofehrn MB. A importância do enfermeiro auditor na qualificação da assistência profissional. Rev Enferm UFPE OnLine. 2010 [citado 2019 Out 28]; 4(2):504-9. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/a6e5/e18a3d90fc62f552a9e24fa319fc7d4bc67a.pdf.

Albano TC, Freitas JB. Participação efetiva do enfermeiro no planejamento: foco nos custos. Rev Bras Enferm. 2013; 66(3):372-7.

Richa AC, Guimarães SM, Cardoso TV. Gestão por padronização de processos: a percepção dos enfermeiros de centro cirúrgico. Rev. SOBECC 2014; 19(1):3-10.

Menezes JGBRL, Bucchi SM. Auditoria em enfermagem: um instrumento para assistência de qualidade. Rev Enferm UNISA. 2011; 12(1):68-72.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1414-4425202100020004

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Rachel de Carvalho

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia