Avaliação dos riscos psicossociais no centro de material e esterilização do norte do Brasil

Valéria Moreira da Silva, Janne Cavalcante Monteiro, Priscilla Perez da Silva Pereira, Daniela Oliveira Pontes, Ana Laura Salomão Pereira Fernandes

Resumo


Objetivo: Analisar o nível de riscos psicossociais dos trabalhadores do Centro de Material e Esterilização de um hospital de grande porte de Rondônia. Método:
Estudo transversal, incluindo auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros, utilizando o questionário Copenhagen Psychosocial Questionnaire. As análises descritivas foram
realizadas no pacote estatístico Stata® versão 11. Resultados: Participaram 35 trabalhadores, sendo a maioria mulheres, com idade acima de 40 anos e técnicas de enfermagem.
Das seis dimensões avaliadas, quatro tiveram risco médio. A dimensão sobre justiça e respeito apresentou elevado risco psicossocial, e a dimensão organização
do trabalho e conteúdo, baixo risco. Conclusão: Os trabalhadores consideravam seu trabalho importante e significante, porém vivenciavam alto risco psicossocial no que
se refere à exigência de atenção e exigência emocional das atividades desenvolvidas na unidade. Poucos estavam satisfeitos com o trabalho, com o ambiente e com a utilização
das habilidades individuais pelo serviço. As informações sobre as relações psicossociais constituem um importante indicador para análise das situações de trabalho,
gerando informações que apoiam intervenções seguras sobre o processo de trabalho.


Palavras-chave


Impacto psicossocial; Equipe de enfermagem; Esterilização

Texto completo:

PDF PDF/A (English)

Referências


Costa, JA; Fugulin, FMT. Atividades de enfermagem em centro de material e esterilização: contribuição para o dimensionamento de pessoal. Acta Paul Enferm. SP, v.2, n. 24, p. 249-56, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-21002011000200015.

Gil, RF; Camelo, SH; Laus, AN. Atividades do enfermeiro de Centro de Material e Esterilização em instituições hospitalares. Revista Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 4, n. 22, p. 927-34, out./dez., 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000400008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMEIROS DE CENTRO CIRÚRGICO, RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA E CENTRAL DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO. Práticas Recomendadas (SOBECC), SP, 7ª ed, 2017.

Rego GMV, Rolim ILTP, D’Eça Jr A, Sardinha AHL, Lopes GSG, Coutinho NPS. Qualidade de vida no trabalho numa central de materiais e esterilização. Rev Bras Enferm. 2020; 73(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0792.

Guissi, PC. et al. Os fatores psicossociais no trabalho e estresse entre os profissionais de enfermagem de uma Central de Materiais Esterilizados. Revista Brasileira de medicina do trabalho. 2019. DOI: 10.5327/Z1679443520190453.

Fernandes, C.; Pereira, A. Exposição a fatores de risco psicossocial em contexto de trabalho: revisão sistemática. Revista Saúde Pública. 2016; 50:24. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2016050006129.

Costa, CCP. et al. O trabalho na central de material: repercussões para a saúde dos trabalhadores de enfermagem. Revista Enfermagem UERJ. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2015.15934.

DATASUS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Disponível em: http://cnes2.datasus.gov.br/cabecalho_reduzido.asp?VCoc_Unidade=1100204001303.Acesso em: 20 mai. 2017.

Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização – SOBECC. Manual de Práticas Recomendadas da SOBECC. 6. ed. São Paulo: SOBECC; 2013.

RONDÔNIA. Secretaria de Estado da Saúde. Relatório de Gestão 2016 da Secretaria de Estado da Saúde: Resultados e Perspectivas. Porto Velho, 2016. 438p.

Santos, AIS. Usabilidade dos Equipamentos de Proteção Individual Radiológica: pesquisa com técnicos e enfermeiros do CHLC. 2014, 158f. Dissertação [Mestrado em Ergonomia]- Universidade de Lisboa, Lisboa, 2014. Disponível em:https://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/6911/1/Universidade%20de%20Lisboa%2021%20Maio%20final.pdf.Acesso em 5 abr 2017.

SILVA, C. et al. Copenhagen Psychosocial Questionnaire. Análise Exacta, 2012. Disponívelem:http://aciff.pt/uploads/Copenhagen%20psychosocial%20questionnarie_COPSOQ.pdf. Acesso em 20 set. 2016.

Lopes, DFM et al. Ser trabalhador de enfermagem da Unidade de Centro de Material: uma abordagem fenomenológica. Rev Esc Enferm USP, São Paulo. 2007. Disponível em: http://www.ee.usp.br/REEUSP/upload/pdf/770.pdf. Acesso em 20 set 2016.

Espindola, MCG; Fontana, RS. Riscos Ocupacionais e Mecanismos de Autocuidado dos trabalhadores de um Centro de Material e Esterilização. Rev. Gaúcha Enferm. Porto Alegre (RS), v.33, n.1, p. 116-23, mar, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10. 1590/S1983-14472012000100016.

Ouriques, CM; Machado, ME. Enfermagem no processo de esterilização de materiais. Rev Texto Contexto Enferm. Florianópolis, v.22, n. 3, p.695-03, jul-set, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000300016.

Bittencourt, VLL, et al. Vivências de Profissionais de Enfermagem sobre os Riscos Ambientais em um centro de material e esterilização. Rev. Min. Enfermag. MG. v.19, n. 4, p. 878-884, out./dez. 2015. DOI: 10.5935/1415-2762.20170006.

Martins, VMF et al. Forças impulsoras e restritivas para trabalho em equipe em um Centro de Material e Esterilização de hospital escola. Rev Esc Enferm USP, São Paulo. 2011, v. 45, n. 5, p. 1183-1190. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500022.

Gouveia, MTO; Oliveira, VC; Lira, IMS. Riscos Ergonômicos em um Centro de Material e Esterilização. Revista de Enfermagem da UFPI, Teresina, v. 3, n. 5, p. 42-7, jul./set. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v5i3.5427

Machado, RR; Gelbcke, FL. Que brumas impedem a visibilidade do Centro de Material e Esterilização? Texto &Contexto Enfermagem. v.18, n. 2, p.347-54,2009.Disponível:http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072009000200019.

Ribeiro, RP.; Camargo, EMOA; Viana, LAC. Avaliação da Temperatura nos Centros de Materiais e Esterilização. Revista Cogitare Enferm. v.2 n. 13, p. 268-74,jan-mar.2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10. 5380/ce.v13i2.12502.

Aquino, JM et. al. Centro de Material e Esterilização: acidentes de trabalho e riscos ocupacionais. Rev. SOBECC, São Paulo,v.19,n.3,.148-54,2014. DOI: doi.editoracubo.com.br/10.4322/sobecc.2014.023.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Quantitativo de profissionais por regional. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/enfermagem-em-numeros> Acesso em 20 nov 2017.

Bugs, TV et al. Perfil da equipe de enfermagem e percepções do trabalho realizado em uma Central de Materiais. Rev Min Enferm. 2017. DOI: 10.5935/1415-2762.20170006.

Spagnol, CA et al. O jogo como estratégia de promoção de qualidade de vida no trabalho no centro de material e esterilização. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro-RECOM. MG, v.2, n. 5, p. 1562-73, mai/ago, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.1064.

Costa, CCP; Souza, NVDO; Pires, AS. Perfil dos trabalhadores de uma central de material e esterilização: uma análise das características sócio profissionais. Revista de Pesquisa Cuidado é fundamental Online, RJ, v. 1, n.8, p. 3633-45, jan./mar., 2016. DOI: 10.9789/2175-5361.2016.v8i1.3633-3645.

Oliveira, EPM; Carvalho, JA; Costa, MAR. Fatores de Risco para Doenças Cardiovasculares de Trabalhadores de uma Instituição de Ensino Superior do Noroeste do Paraná-Brasil. Revista Uningá Review. v.16, n.36, p. 22-6, out-dez, 2013. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1478. Acesso em 20 nov 2017.

Rubini, B et al. O Trabalho de enfermagem em Centro de Material e Esterilização no Brasil: uma revisão de literatura. Revista Uningá Review. v. 20, n.1, p. 51-5, out-dez, 2014. Disponível em:

Borgheti, SP; Viegas, K; Caregnato, RCA. Biossegurança no centro de materiais e esterilização: dúvidas dos profissionais. Rev. Sobecc. v. 21, n. 1, p. 3-12, jan./mar. 2016. DOI:10.5327/Z1414-4425201600010002.

Rodrigues, AL.; Barrichelo, A; Morin, EM. Os sentidos do trabalho para profissionais de enfermagem: um estudo multimétodos. Revista de Administração de Empresas, 2016, v. 56, n.2, mar-abr, p.192-08. DOI: http://dx.doi.org/10. 1590/S0034-759020160206.

Martins, VMF et al. Forças impulsoras e restritivas para trabalho em equipe em um Centro de Material e Esterilização de hospital escola. Rev Esc Enferm USP, São Paulo. 2011, v. 45, n. 5, p. 1183-1190. Disponível em: . ISSN0080-6234. Acesso em 20 nov 2017.

Araruna, AB., Posso, MBS. Centro de material de esterilização: parâmetros espaciais e riscos físicos. Revista SOBECC, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 142-147, set. 2014. ISSN 2358-2871. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/106. Acesso em: 14 mai 2020.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1414-4425202100010002

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Valéria Moreira da Silva, Janne Cavalcante Monteiro, Priscilla Perez da Silva Pereira, Daniela Oliveira Pontes, Ana Laura Salomão Pereira Fernandes

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia