Perfil clínico-cirúrgico de pacientes com mediastinite pós-cirurgia cardíaca: estudo transversal retrospectivo

Priscilla Sayuri Kanasiro, Ruth Natalia Teresa Turrini, Vanessa de Brito Poveda

Resumo


Objetivo: Descrever o perfil dos pacientes que desenvolveram mediastinite no pós-operatório de cirurgia cardíaca em um hospital de alta complexidade, analisando o desfecho, relacionado ao tempo de internação, à necessidade de reinternação, à antibioticoterapia instituída e a óbito. Método: Estudo transversal, com coleta de dados retrospectiva, por meio de consulta a 86 prontuários de pacientes que desenvolveram mediastinite no ano de 2015. Os dados foram coletados desde o pré-operatório até 90 dias após a alta hospitalar, o diagnóstico de mediastinite ou o óbito. Resultados: O diagnóstico de mediastinite ocorreu em 45,3% dos casos durante a internação e 54,7% após a alta hospitalar, dos quais 14,9% foram tratados ambulatorialmente e 85,1% necessitaram de reinternação. O tempo médio de internação foi de 31,8 dias. O tempo médio para o diagnóstico de mediastinite foi de 21,2 dias (desvio padrão — DP±11,48). O tratamento foi baseado principalmente em quinolonas (43%) e glicopeptídeos (39,5%). Conclusão: Considerando a frequência de identificação de casos após a alta hospitalar, a vigilância pós-alta de infecções do sítio cirúrgico entre pacientes submetidos a cirurgias cardíacas deve ser um objetivo compartilhado pela equipe multiprofissional


Palavras-chave


Infecção da ferida Operatória; Mediastinite; Procedimentos Cirúrgicos Cardiovasculares; Enfermagem Perioperatória.

Texto completo:

PDF PDF/A (English)

Referências


Tiveron MG, Fiorelli AI, Mota EM, Mejia OAV, Brandão CMA, Dallan LAO, et al. Fatores de risco pré-operatórios para mediastinite após cirurgia cardíaca: análise de 2768 pacientes. Rev. Bras. Cir. Cardiovasc. 2012;27(2):203-210.

Centers for Disease Control and Prevention (US); Surgical Site Infection (SSI) Event. Procedure-associated Module SSI. 2016 Jan:1-31.

Lepelletier D, Bourigault C, Roussel JC, Lasserre C, Leclère B. Epidemiology and prevention of surgical site infections after cardiac surgery. Médecine et maladies infectieuses.2013;(43):403-409.

Mangram AJ, Horan TC, Pearson ML, Silver LC, Jarvis WR. Guideline for Prevention of Surgical Site Infection, 1999. 1999; 10(4): 247-278.

Felício JRD, Costa LCP, Pereira R. Relatório de Atividades Fundação Zerbini 2013. Relatório de atividades [Internet]. São Paulo; s.d. [citado 2017 jan. 03]. Disponível em: http://www.zerbini.org.br/relatorios/2013/Relatorio_atividades_FZ_2013.pdf.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2013.

Oliveira RA. Fatores de risco para infecção do sítio cirúrgico em transplante de fígado: coorte histórica.São Paulo: Universidade de São Paulo; 2016.

Silva QCG, Barbosa MH. Risk factors for surgical site infection in cardiac surgery. Acta Paul Enferm. 2012; 25(2):89-95.

Sá MPBO, Silva DO, Lima ENS, Lima RC, Silva FPV, Rueda FG, et al. Mediastinite no pós-operatório de cirurgia cardiovascular. Análise de 1038 cirurgias consecutivas. Rev. Bras. Cir. Cardiovasc. 2010; 25(1):19-24.

Magalhães MGPA, Alves LMO, Alcantara LFM, Bezerra SMMS. Mediastinite pós-cirúrgica em um Hospital Cardiológico de Recife: contribuições para a assistência de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(4):865-871.

Magedanz EH, Bodanese LC, Guaragna JCVC, Albuquerque LC, Martins V, Minossi SD, et al. Elaboração de escore de risco para mediastinite pós-cirurgia de revascularização do miocárdio. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2010; 25(2):154-9.

Sang SLW, Chaturvedi R, Alam A, Samoukovic G, Varennes B, Lachapelle K. Preoperative hospital length of stay as a modifiable risk factor for mediastinitis after cardiac surgery. Journal of Cardiothoracic Surgery.2013:1-7.

Anderson AJPG, Barros Neto FXR, Costa MA, Dantas LD, Hueb AC, Prata MF. Preditores de mortalidade em pacientes acima de 70 anos na revascularização miocárdica ou troca valvar com circulação extracorpórea. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2011; 26(1): 69-75.

Sá MP, Soares EF, Santos CA, Figueiredo OJ, Lima RO, Escobar RR, et al. Risk factors for mediastinitis after coronary artery bypass grafting surgery. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2011; 26(1):27-35.

Barreiros BRN, Bianchi ERF, de Brito Poveda V. Causas de readmissão hospitalar após cirurgia cardíaca. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2016; (18):1-8.

Araújo RA, Oliveira NB, Barbosa HSC, Bezerra SMMS. Population affected by mediastinitis in a university hospital in Recife-PE: a retrospective study. Online Brazilian Journal of Nursing. 2012;11(3):789-799.

Laizo A, Delgado FEF, Rocha GM. Complicações que aumentam o tempo de permanência na unidade de terapia intensiva na cirurgia cardíaca. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2010; 25(2):166-171.

Conterno LO, Toni SMD, Konkiewitz RG, Guedes ES, Barros RT, Tiveron MG. Impact of hospital infections on patients outcomes undergoing cardiac surgery at Santa Casa de Misericórdia de Marília. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2014; 29(2):167-176.

Figueiredo TR, Pinheiro LLDS, Correia PP, Valença MP, Bezerra SMMDS. Tratamento de lesão por mediastinite com terapia assistida a vácuo. Revista Enfermagem Digital Cuidado e Promoção da Saúde. 2014; 1(1):31-36.

World Health Organization (US). Global Guidelines for the Prevention of Surgical Site Infection; 2016.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1414-4425201900030005

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Priscilla Sayuri Kanasiro, Ruth Natalia Teresa Turrini, Vanessa de Brito Poveda

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia