Humanização no Centro Cirúrgico: A percepção do Técnico de Enfermagem

Nery José de Oliveira, Clayton dos Santos Moraes, Shana Marques Neto

Resumo


O objetivo do estudo foi analisar a percepção dos técnicos de enfermagem em relação à humanização no Centro Cirúrgico (CC). Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo-exploratório, que utilizou um questionário entrevista semi-estruturado. A amostra constituiu-se de 25 técnicos de enfermagem atuantes no CC de um hospital privado na cidade de Porto Alegre (RS). A humanização do cuidado foi interpretada como um processo que visa melhorar o atendimento ao cliente, proporcionando-lhe bem-estar, acolhimento e que envolve interação entre equipe e paciente. O acolhimento é traduzido como o ato de dar proteção e guarida. Envolve ética, atendimento igualitário, individualizado, responsabilização, cuidado e apoio ao paciente. Entre as medidas de humanização adotadas destacou-se aatenção ao paciente nos momentos de admissão e o preenchimento do checklist de cirurgia segura. Esse grupo de profissionais considera importante aassistência humanizada, porém, na prática profissional, encontra dificuldades na efetiva implementação, devido à demanda de trabalho, em especial, o burocrático.

Palavras-chave


Humanização da assistência Equipe de enfermagem. Centro cirúrgico hospitalar

Texto completo:

PDF/A

Referências


Waldow VR. Cuidado humano: o resgate neces-sário. 3a ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto; 2001.

Bonfim MA, Carvalho R. A mãe e a criança narecuperação anestésica: o cuidado que faz adiferença. Rev SOBECC. 2011;16(2):57-64.

Grasel LH, Brentano EP, Caregnato RC.Ansiedadee medo: diagnóstico de enfermagem aplicado nopré-operatório do paciente cardíaco. Rev SOBECC.2009;14(2):28-35.

Bedin E, Ribeiro MBL, Barreto RSS. Humanizaçãoda assistência de enfermagem em centro cirúrgico.Rev Eletrônica Enferm [Internet]. 2005 [citado 2007jul. 271-7(1)-1118-27. Disponível em: http:Ilwww.revistas. ufg.br!index.php!fen/article/view/846/1 018

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pes-quisa qualitativa em saúde. 121 ed. São Paulo: Hu-citec; 2010.

Backes DS, Koerich MS, Erdmann AL. Humanizingcare through the valuation of the human being: resig-nification of values and principies by health profession-ais. Rev Latino-Am Enferm. 2007;15(1):34-41.

CamargosAT, Dias LO. Communication: an impor-tant instrument for humanizing nursing care in the in-tensive care unit. In: Proceedings of the 81 BrazilianNursing Communication Symposium; 2002 May 02-03; Ribeirão Preto [Internet]. Ribeirão Preto: Esco-la de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidadede São Paulo; 2002. [citado 2012 Jul 111. Dispo-nível em: http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC00000000520020001 00029&lng=en&nrm=van

Puccini PT, Cecílio LCO. A humanização dosserviços e o direito à saúde. Cad Saúde Pública.2005;20(5):1342-53.

Joint Comission International. Padrões de acredi-tação da Joint Commission para Hospitais [Internet].4' ed. Rio de Janeiro (RJ): Consórcio Brasileiro de Acreditação de Sistemas e Serviços de Saúde;2010 [acesso 2011 Jan 081. Disponível em: http:IIpt.jointcommissioninternational .org/enpt/Accredita-tion-Manuals!EBIAS400P/1 639!

Martins MCF. Humanização das relaçõesassistenciais de saúde: a formação do profissionalde saúde. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2001.

Mota RA, Martins CGM, Veras RM. Papel dosprofissionais de saúde na política de humanizaçãohospitalar. Psicol Estud [Internet]. 2006 mai-ago[citado 2007 ju. 29]; 11(2):323-30. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/pe/vlln2/vlln2a10.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Carta dos direitosdos usuários da saúde: ilustrada [Internet]. 21 ed.Brasília; 2006 [citado 2008 jan 17]. Disponível em:http://www.saude.mt.gov.br/adminpubIicacao/arquvo!carta direitos usuarios saude ilustrada. pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional deHumanização da Assistência Hospitalar (PNHAH):

humaniza SUS [Internet]. Brasília; 2006 [citado2007 jul 281. Disponível em: http:!/portal.saude.gov.br/portal/arq u ivos!pdf/doc base. pdf


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Nery José de Oliveira, Clayton dos Santos Moraes, Shana Marques Neto

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia