Humanização da assistência à criança em Centro Cirúrgico Oncológico*

Damiana Cosmea da Silva, Naluzia de Fátima Meirelles

Resumo


Este artigo apr esenta o pro­ cesso de sistematização de condutas para a assistência de Enfermagem à criança no Centro Cirúrgico, desenvolvido no H os­ pital do Câncer  1, do Instituto  Nacional do Câncer (Inca), no RJ. Para uma assis­ tência de Enfermagem humanizada, com a amenização de traumas, melhor aceitação dos procedimentos anestésico-cirúrgicos e maior interação com a clientela in fa nti l, os enfermeiros do Centro Cirúrgico empregam estratégias, entre elas a perma­ nência do familiar junto à criança dentro do Centro Cirúrgico e a utilização dos brinquedos, como terapia para expressa­ rem seus sentimentos brincando, e para estabelecer um elo e confiança junto aos p rofissi onais . As autoras descrevem as ações desenvolvidas pelos enfermeiros no Centro Cirúrgico voltadas para o cliente pediátrico e abordam a importância do espaço lúdico como cenário do processo de humanização. As inovações no pro­ cesso de trabalho das enfermeiras trou­ xeram respostas si gnificat ivas com maior compreensão, participação e  interação da criança e seu familiar, repercutindo no bem-estar mental, emocional e social da criança assistida.


Palavras-chave


Enfermagem em Centro Cirúrgico, criança, humanização, On­cologia.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Smeltze r SC, Brenda G B. Brunner & Sudd arth : Tratado de Enfermagem médico-cirúrgica. 8ª ed. Rio de J an eiro: Guanabara-Koogan; 1 999.

Instituto Nacional de Cân cer. Par­ ticularidades do câncer infantil [ho­ mepage na Int ernet] . Rio de Janeiro; c1 9 9 6 -20 0 9 . [atualizado 2009; citado 2005 out. 19). Disponível em: http :// www.Inca .gov. br

Inst itut o Nacional de Câncer. Seção de Oncologia Pediátrica: epidemiologia dos tumores da criança e do adolescente [homepage na Internet]. Rio de Janeiro; c1996-2009. [atualizado 2009; citado 2005 jul . 8]. Disponível em: http :// www.Inca .gov.br

Hope - Apoio à criança com câncer. Câncer infantil [homepage na Internet] . São Paulo; c20 0 8. [atualizado 2008; citado 200 5 out. 1 9 ]. Disponível em: http://www. hope.org.br

Brasil. Ministério da Saú de . Projeto Minha Gente. Estatuto da criança e do6. Piaget J. A psicologia da criança . Rio de J aneiro: Bertrand Brasil; 19 9 8.

Brougeres G . Brinquedo e cultu ra . São Paulo: Cortez; 199 5.

Sant os SMP Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúd ico. Petrópolis: Vozes; 20 00 .

Huerta EPN. Brinquedo no hospita l. Rev Esc Enferm Usp . 1990; 24(3) :319- 27 .

Cunha NHS. O brincar e as ne­ cessidades especiais. ln: Santos SMP, organizador. Brinquedoteca: a crian ça, o adulto e o lúdico. Petrópolis: Vozes; 2000, p. 29-36.

Furtado MCC, Lima RAG. Brincar no hospita l: subsídios para o cuidado de En ferm ag em. l n: Anais do 50 º Con­ gresso Brasileiro de Enfermagem; 1998 set; Bah ia . Bah ia : ABEn -Seção- BA; 19 99 . p.96 .

Campos RO. Humanização da assis­ tência hosp ita la r: um sonho em andamen­ to . Rev SOBECC. 200 2;7(3) :1 5-6 .

Horta WA. Humanização: editorial. Enferm Novas Dimens. 19 7 7; 3( 4) :II I.

Rockenbach LH. A Enfermagem e a humanização do pacient e. Rev Bras En ferm . 1985;38(1 ):49 -5 4. de Paterson & Zderad. Nursing (São Paulo) . 20 0 2; 5( 48) :25-30 .

Colenci R, Abdala KM, Braga EM. A família e a sala de esp era do Centro Ci rúr gico. Rev SOBECC. 2004;9(1 ):1 3-20 .

Kikuchi EM et ai. A criança cirúrgica e sua família: vivência de um projeto fasci­ nant e. Rev SOBECC. 20 00 ; 5(3) :16 -9.

Goula rt AMPL, Morais SPG . O brincar como ação mediadora com crianças hosp italizadas . ln: Santos SMP, organ izado ra . Brinq uedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis: Vozes; 20 0 0 . p.1 19-2 8.

Silva MJ P. A criança prema de ajuda: quanto nós podemos ajudar? Rev SOBECC. 2002;5(3):22-4.

Rese nde SMFS, Chianca TCM . Relacionamento da equipe de Enferma­ gem com o pacient e. Rev SOBECC. 19 9 8;3 (4) :20 -6 .

Meirelles NF, Alves DY, Andrade N. Reestruturação da Saep ao cliente oncológico segundo taxonomia de Nanda e Teoria de King . Esc Anna Nery Rev Enferm. 2002;6(3):465-7 3.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Damiana Cosmea da Silva, Naluzia de Fátima Meirelles

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia