Relações interpessoais da equipe de enfermagem em Centro Cirúrgico

Eliana Mara Braga, Heloisa Wey Berti, Amanda C.M.CR. Risso, Maria Júlia Paes da Silva

Resumo


Este estudo objetivou identifi-car situações positivas e/ou negativas nosrelacionamentos interpessoais em CentroCirúrgico, além de proporcionar espaçosde discussão para o desenvolvimento dacompetência interpessoal nessa equipe.A técnica de grupo focal foi utilizadana coleta de dados. Para a análise dosdados recorremos ao Método de Análisede Conteúdo e o referencial teórico daComunicação Interpessoal fundamentoua interpretação dos discursos. Nosresultados que emergiram, o diálogo eo sentir-se valorizado apareceram comosituações positivas, enquanto a falta dediálogo, a falta de sentimento de equipe,a falta de cuidado com economia dematerial, manutenção de equipamentose o desconhecimento das normas e pro-cedimentos do Centro Cirúrgico foramcitados como situações negativas e fontede conflitos nas relações. Concluímosentendendo que as propostas do grupodevem ser incentivadas pela equipe ges-tora para que estes se sintam parte doprocesso de desenvolvimento qualificadoda assistência de Enfermagem no setor.

Palavras-chave


comunicação interpes-soal, Enfermagem, Centro Cirúrgico,trabalho em equipe.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Littlejohn SW. Fundamentos teóricosda comunicação humana. Rio de Janei-ro: Guanabara; 1988.

Bordenave JED. O que é comunica-ção, São Paulo: Brasiliense; 2004.

Silva MJP Comunicação tem remé-dio: a comunicação nas relações inter-pessoais em saúde. 4' ed. São Paulo:Loyola; 2006.

Moscovici E Equipes dão certo: amultiplicação do talento. 9' ed. Rio deJaneiro: José Olympio; 2004.S. Watzlawick P, Beavin JH, JacksonDD Pragmática da comunicação huma-na 21' ed. São Paulo: Cultrix; 2004.

Amaru AC. Gerência de trabalho em equipe. São Paulo: Pioneira; 1986.

Braga EM, Sangiuliano LA, SilvaMVG, Silva MJP A comunicação emgrupo entre profissionais de saúde. RevNursing 2004;73(7):36-41.

Mailhiot GB. Dinâmica e gênese dosgrupos. 2' ed. São Paulo: Duas Cida-des; 1973.

Stefanelli MC, Carvalho EC, organi-zadoras. A comunicação nos diferentes contextos da Enfermagem. Barueri: Ma-nole1 2005.

Leopardi MT, Beck CLC, Niet-schen EA, Gonzales RMB. Metodolo-gia da pesquisa na saúde. Santa Maria:Palotti; 2001.

Bardin L. Análise de conteúdo.São Paulo: Edições 70 1977.

Bedin E, Ribeiro LBM, BarretoRASS. Humanização da assistência deEnfermagem em Centro Cirúrgico. RevEletrônica Enferm [periódico na Inter-net]. 2004 set/dez. [citado 2007out. 30] 6(3):400-9. Disponívelem: http://www.fen.U[3.6r/revista/revis-ta6-3/index.html

Caregnato RCA, Lauter L. Situa-ções geradoras de estresse na equipemultiprofissional na sala cirúrgica. RevSOBECC. 2003;8(3):11-6.

Silva MJP Cuidando com qualidade,consciência e confiança: reflexões teóricas.Rev Paul Eníerm. 2002;2(1):511.

Duarte LEMN, Lautert L. Conflitose dilemas de enfermeiros que trabalhamem centros cirúrgicos de hospitaismacro-regionais. Rev Gaúcha Enferm.2006;27(2):209-18.

Clot Y. La fonction psychologiquedu travail. Paris: PUFJ 1999. StummEMF, Maçalai RT, Kirchner RM. Difi-culdades enfrentadas por enfermeiros deum Centro Cirúrgico. Texto ContextoEnferm. 2006;15


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Eliana Mara Braga, Heloisa Wey Berti, Amanda C.M.CR. Risso, Maria Júlia Paes da Silva

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia