Aeromicrobiota do ambiente cirúrgico: o que nos preocupa nos dias atuais?

Juliana Ferreira Lima de Paula, Denise de Andrade, Cristina Maria Galvão

Resumo


O presente estudo, de natureza reflexiva, tem a meta primordial de desencadear questionamentos e sensi­ bilizar os profissionais de saúde no que tange à aeromicrobiota do ambiente climatizado artificialmente, sobretudo do Centro Cirúrgico. As autoras apresentam uma síntese de fatos relevantes, associados à contaminação biológica do ar em am­ bientes fechados e climatizados por meio de sistema de ar condicionado. Em se­ guida, apontam a problemática da aero­ contaminação biológica e discutem as alternativas de controle. No fim, alertam para a necessidade de uma pluralidade de ações estruturadas no conhecimento científico e na multidisciplinaridade, bem como na aplicação crítica da resolução nacional vigente.


Palavras-chave


aeromicrobiota; risco biológico; Centro Cirúrgico

Texto completo:

PDF/A

Referências


. Rodrigues EAC, Mendonça JS, Amara nt e JMB, Alves Filho MB, Grinbaum RS, Richtmann R Infecções hospitalares: prevenção e contr ole. São Paulo: Sarvier; 1 99 7 .

Fernandes AT, Fernandes MOV, Ribeiro Filho N. Infecção hosp itala r e suas interfaces na área de saúd e. São Pau lo: Atheneu; 2000, v. 1

Lace rda R A. Centro Cirúrgico. ln: Fernan des AT, Fernan des MOV, Ribeiro Fil ho N, Graziano KU, Cavalcante NJF, Lacerda RA. Infecção hospita la r e suas interfaces na área da saúde. São Paulo: A theneu; 2000, V. 1, p. 789-818.

Lacerda RA, coordenadora. Controle de infecção em Centro Cirúrgico: fatos, mitos e contr ovérsias. São Paulo: Atheneu; 2003.

Sterling E, Collet C. The impact of ventilation indoor air quality and human health and confort. Ashrae J ; 199 1 .

Siqueira LFG. Síndrome do edifício doente, o meio ambiente e a infecção hospitalar: ln: Fern andes AT, Fernandes MOV, Ribeiro Filh o N. Infecção hospitalar e suas interfaces na área da saúde. São Paulo: Atheneu; 2000 , v. 2, cap.72, p. 1309-22.

Morris G, Kokkit MH, Andersen K, Richardson MD. Sampling of Aspergi/lus spore in air. J Hosp lnfect 2000; 44(2) :81-9 2

Ministério da Saúde. Coordenação de Controle de Infecções Hospitalares. Procedimento de artigos e su perfícies em estab eleciment os de saúde. 2ª ed., Brasília; 1 99 4.

Friberg B. Correlation between surface and a ir count of particles carrying aerobic bactéria in operating rooms with turbulent ventilation: an experimental study. J

Hosp lnfec 1999 ; 42(1) 61-8

Roy MC. The operating theatre: a sp ecia l environmental area. ln: Wenzel RP, editor. Prevention a nd con trol of nosocomial infections. Ba lt imore: Wil liams & Willians; 1997, p. 517-9.

Friberg B, Friberg S, Ostensson R, Burman LG. Surgical area contam inat ion-compa rable bacterial counts using disposable head and mask and helmet aspirator system, but dramatic increase upon omission of head­ gear: an experim enta l study in horizontal lam ina r air­ flow. J Hosp lnfect 2001; 47(2) 110-5.

2. Dha ran S, Pittet D. En vironm enta l controls in operating theat res. J Hosp lnfect 2002; 51 (2):79-

3. Nichols RL. The Üperating Room. ln Bennett JV, Brachmans PS, editores. Hospital infections. 4th ed. Philadelphia li ppincott - Raven; 1998 , p. 68- 76.

4. Associação Paulista de Estudos e Controle de Infecção Hospitala r. Prevenção da infecção de sítio cirúr gico São Paulo: A PECIH; 1995.

5. Uduman SA, Farrukh AS, Nath KN, Zuhair MY, lf rah A, Kha wla AD, Sunita P An outb reak of serratia marcescens infection in a spec ial-care baby unit of a commun ity hospital in Un ited A rab Em irat es: the importance of the air conditioner duct as a nosocomial reservoir. J Hosp l n fect 2002; 52(3) 175-80.

Ministério da Saúde. Porta ria n. 3523, de 28 de agosto de 1998. Aprova regulamento técnico co nt e n do medidas básicas re fe re nt es aos procedimentos de veri ficação visual do estado de l im peza, remoção de su jidades. Diá rio Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 31 ago. 199 8 . Seção 1, p. 40 -2.

Associação Brasileira de Norm as Técnicas NBR- 6401 : instalações centrais de ar condiciona do para conforto: parâmetros básicos de projeto. Rio de Janeiro; 1980 . Disponível em: www.abnt.org.br (28 nov. 2003)

8. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR- 7256: tratamento de ar em unidades médico­ assistencia is. Rio de J an eiro; 1982. Dispo nível em: www.abn t.org.br (28 nov. 2003).

9. Sociedade Brasileira de Controle d e Co ntam ina ção. Recomendação norm at iva 004 - classificação de filtros de ar para u t il iza ção em ambientes climatizados. São Pau lo; 199 5.

Associação Brasileira de Norm as Técnicas. NBR- 1 3700: Áreas limpas - class if icação e controle de contaminação. Rio de J an eiro; 1996. Dispo nível em: www.abn t.org br (28 nov. 2003).

Ministério da Saúde. Agência Nacional da Vigilân cia San itá ria. Resolução RE 176, de 24 de outubro de 2000 . Padrões referenciais de q ualidad e

do ar interior em ambientes climatizados a rtif icialmente de uso público e coletivo. Bras ília; 2000.

Ministério da Saúde. A gência N aciona l de Vigilânc ia San itá ria. Resolução RE 9, de 16 de janeiro de 2003. Pad rões referenciais de qualidade do ar int erior em ambientes climatizados a rtificia lment e de uso público e coletivo. Rio de J aneiro; 200 2 .

Pitt et D, Ducel G. lnfectious risk factors related to operating rooms. lnfect Control Hosp Epidemio! 1994; 15(7)456-62

. Aylif fe GAJ . Role of the environment of the operating suite in surgical wound infection, Rev lnfect Dis 199 1 ; 13(Suppl 10)S800-4


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Juliana Ferreira Lima de Paula, Denise de Andrade, Cristina Maria Galvão

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia