A mãe e a criança na recuperação anestésica: o cuidado que faz a diferença

Mariane Azevedo Bomfim, Rachel de Carvalho

Resumo


Realizou-se um estudo descritivo-exploratório. prospectivo de campo na Recuperação Anestésica (RA) de um hospital público, da cidade de São Paulo. Os objetivos foram: venficar a importância da permanência da mãe como acompanhante da criança na RA e identificar os aspectos positivos e negativos relativos à presença da mãe na recuperação. Após as devidas aprovações ético-legais, foram entrevistadas 30 mães, que responderam um formulário no momento em que acompanhavam seus filhos no período transoperatório. A totalidade das mães declarou ser importante acompanhar o filho durante sua permanência na RA. Os aspectos positivos identificados pelas mães foram: proporcionar mais calma para a criança e para a própria mãe e verificar de perto tudo o que acontece. Dentre os aspectos negativos, destacou-se o medo da mãe que ocorra alguma complicação com seu filho. A permanência da mãe ao lado da criança na sala de recuperação é importante para os envolvidos (equipe, paciente e família), pois reduz a ansiedade de todos permitindo que a espera da recuperação tenha menos incertezas.

Palavras-chave


Enfermagem. Sala de recuperação. Criança. Mães. Relação mãe-filho.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Galdeano [E, Rossi LA, PenicheACG. Assistência de enfermagemna recuperação pós-anestésica. In:Carvalho R. Bianchi ERE. organizadorasEn Ferniagem em centro cirúrgico erecuperação. 1.1 cd rei mp. BarueriManole: 2010. p.267-98.

Sociedade Brasileira de Enfermeiros deCentro Cirúrgico, Recuperação Anestésicae Centro de Material e EsterilizaçãoPráticas recomendadas- SOBECC. 5" cdSão Paulo: SOBECC: 2009.

Schmidt DRC. Orasmo CVN, GilRF. Humanização da criança operada:integraçào familiar ao ambiente cirúrgicoRev SOBECC. 2005:l0(3):14-22.

Kikuchi EM, Tramontini CC, LopesDFM. Kemnier LF, Garanhani ML. Acriança cirúrgica e sua família: vivênciade um projeto fascinante. Rev SOBECC.2000:5(3): 16-9.

Salimena AMO, Cadete MMM. Ossentimentos expressos pela mãe àporta do centro cirúrgico: abordagemfenomenológica. Nursing (São Paulo)2003;6(56):32-4.

Silva MJP. A criança precisa decirurgia.. quanto nós podemos ajudar'> Rev SOB [CC. 2000:5(3):22-4

Laperuta V. Assistência de enÍèrmagemcentrada da família: uma experiênciainternacional. N ursing (São Paulo).2002:5(52):1_1-4.

Moro ET, Módolo NSP. Ansiedade, acriança e os pais. Rev Bras Anestesio!.2004:54(5):728-38.

Almeida FA, Ângelo M. Brinquedo te-rapêutico: comportamentos manifestadospor crianças cm unidade de recuperaçãopós-operatória de cirurgia cardíaca. RevPaul Enferm. 2001 :20(1):5-12.

Duarte ERM, Müller AM. BrunoSMA, Duarte ALS. A utilização dobrinquedo na sala de recuperação: umrecurso a mais para a assistência deenfermagem à criança. Rev Bras Enf'erm.1987;40(1):74-8 1.

Almeida FA, Sabatés AL. organizadoras.Enfermagem pediátrica: a criança, oadolescente e sua família no hospital.Barueri: Manole: 2008.

Brevidelli MM, Domenico EBL.Trabalho de conclusão de curso: guiaprático para docentes e alunos da área dasaúde. 4" ed. São Paulo: látria: 2010.

RLUZ JA. Metodologia científica: guiapara eficiência nos estudos. 4 ed. SãoPaulo: Atlas: 1996.

Módolo NSP. Agitação no despertar:problema do anestésico ou da técnica?In: Serviço de Anestesiologia de Joinville[homepage na Internet]. Joinville. 2006.[citado 2008 nov 15]. Disponível em:httl):/'/www.saj.iiled,br/uploade(l File/novos artigos 1 1 9. pd 1'

Neves MA. Transtorno de adaptação


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Mariane Azevedo Bomfim, Rachel de Carvalho

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia