O impacto do trabalho do Centro de Materiais na qualidade da assistência

Ana Cleide Umbelino da Silva Florêncio, Rachei de Carvalho, Gessilene de Sousa Barbosa

Resumo


Este estudo objetivou conhecer a importância do trabalho do Centro de Material e Esterilização (CME) para a qualidade da assistência prestada ao cliente e identificar os fatores que facilitam e que dificultam a realização do trabalho nesta área. Trata-se de uma pesquisa de campo, descritivo-exploratória,com análise quantitativa, cuja amostra foi composta por 45 profissionais (seis enfermeiros e 39 técnicos), que responderam um questionário, após cumpridos os devidos trâmites ético-legais. A totalidade dos entrevistados acredita que o trabalhodo CM reflete diretamente na qualidade da assistência prestada ao paciente. Destacaram como fatores que facilitam sua atuação: trabalho em equipe, respeito, comprometimento, boa interação entre as equipes e liderança, incentivo para o desenvolvimento profissional, entre outros. Dentre os fatores que dificultam o trabalho, foram levantados: materiais que não suprem a demanda dos procedimentos, grande número de prioridades nos atendimentos, falta de iniciativa na tomada de decisões e no planejamento do setor. Concluiu-se que o impacto do trabalho do CM reflete diretamente na qualidade da assistência ao cliente e a equipe que nele atua tem plena consciência disto.


Palavras-chave


Cuidados de enfermagem: Papel do enfermeiro: Esterilização; Almoxarifado central hospitalar: Qualidade da assistência à saúde.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Orientações gerais para central de esterilização. Brasília; 2001.

Carvalho R. Centro de material eesterilização. In: Rodrigues AB, SilvaMR, Oliveira PP, Chagas SSM. O guiada enfermagem: fundamentos paraassistência. São Paulo: látria; 2008p. 129-43.

Sociedade Brasileira de Enfermeirosde Centro Cirúrgico, Recuperação Anes-tésica e Centro de Material e Esteriliza-ção. Práticas recomendadas - SOBECC5 ed. São Paulo: SOB ECC; 2009.

Lopes DFM, Silva A, Garanhani ML,Merighi MAB. Ser trabalhador de enfer-magem da unidade de centro de material:urna abordagem fenomenológica. RevEsc Enferm USP. 2007;41(4):1-16.

Souza MCB, Ceribelli MIPF. Enferma-gem no centro de material esterilizado:a prática da educação continuada. RevLatino-Am Enferm. 2004;12(5):767-74.

Brasil. Ministério da Saúde. AgênciaNacional de Vigilância Sanitária.Resolução RDC ri. 307, de 14 denovembro de 2002. Altera a ResoluçãoRDC n. 50 de 21 de fevereiro de 2002 quedispõe sobre o regulamento técnico paraplanejamento, programação, elaboraçãoe avaliação de projetos físicos deestabelecimentos assistenciais de saúde.Diário Oficial da União [periódico naInternet]. 2002 nov. 18 [citado 2010 fev.

Araújo GA, Santos IBC, OliveiraEF. Reflexões sobre o desempenhodos colaboradores no centro dematerial e esterilização. Rev SOBECC.

;l 1(4):31-6.

Bartolomei SRT, Lacerda RA. Traba-lho do enfermeiro no centro de materialC seu lugar no processo de cuidar pelaenfermagem. Rev Esc Enferm USP.2006;40(3):412-7.

Lakatos EM, Marconi MA. Fundamen-tos de metodologia científica. 7' ed. SãoPaulo: Atlas; 2009.

Polit DF, Beck CT, Hungler BP. Fun-damentos de pesquisa em enfermagem:métodos, avaliação e utilização. 5 ed.Porto Alegre: Artmed; 2004.

II Shinyashiki R. O sucesso é ser feliz.Medicis: Rev Cult Ci Saúde. 2000;

:14-5.

Taube SAM, Meier MJ. O processode trabalho da enfermeira na central dematerial e esterilização. Acta Paul En-ferrn. 2007;20(4):470-5.

WestAAR, Lisboa MALP. Satisfaçãono trabalho e perfil dos funcionários docentro de material e esterilização. RevSOBECC. 2001;6(4):17-21.

Tipple AFV, Souza IR, BezerraALQ, Munari DB. O trabalhador semformação em enfermagem atuando emcentro de material e esterilização: desafiopara o enfermeiro. Rev Esc Enferrn USP.2005;39(2):173-80.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Ana Cleide Umbelino da Silva Florêncio, Rachei de Carvalho, Gessilene de Sousa Barbosa

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia