Critérios para avaliação de novas tecnologias para esterilização

Kazuko Uchikawa Graziano, Paulo Roberto Laranjeira, Luiz Carlos da Fonseca e Silva, Jeane Aparecida Gonzalez Bronzatti, Rafael Queiroz de Souza, Giovana Abrahão de Araújo Moriya, Eliane Molina Psaltikidis

Resumo


Objetivo: Discorrer sobre critérios e métodos que devem nortear a avaliação de novas tecnologias para esterilização. Método: Estudo de revisão narrativa
mediado pela busca e interpretação da legislação nacional relacionada aos processos de esterilização, normas técnicas e documentos que embasam os aspectos
construtivos, funcionais e da segurança das tecnologias para esterilização. Resultados: Foram discutidos tópicos relevantes à segurança dos processos de esterilização,
como a prova de esterilidade, simulação do ciclo nas piores condições de carga, compatibilidade com sistemas de barreira estéril, testes de biocompatibilidade,
controle de processos e avaliação econômica. Conclusão: Os resultados beneficiarão diretamente três segmentos principais; os fabricantes, no desenvolvimento
e na solicitação de registro de novas tecnologias para esterilização; a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, na adoção oficial de uma lista de exigências
junto ao fabricante no momento de petição de registro de novos equipamentos; e os serviços de saúde, no consumo de novas tecnologias para esterilização.


Palavras-chave


Esterilização. Métodos. Tecnologia. Legislação em ciência e tecnologia. Tecnologia de equipamentos e provisões.

Texto completo:

PDF PDF/A (English)

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria

Interministerial 482, de 16 de abril de 1999. Aprova o Regulamento

Técnico e seus Anexos, objeto desta Portaria, contendo disposições

sobre os procedimentos de instalações de Unidade de Esterilização

por óxido de etileno e suas misturas e seu uso [Internet]. Brasília;

[acesso em: 2016 dez. 10]. Disponível em:

gov.br/legis/portarias/482_99.htm>

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos

Estratégicos. Diretrizes metodológicas: elaboração de pareceres

técnico-científicos. 4ª ed. Brasília; 2014 [acesso em 2015 abr. 16].

p. 19-37. Disponível em:

odologicas?download=3:diretrizes-metodologicas-elaboracao-depareceres-

tecnico-cientifico-4-edicao>

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia

e Insumos Estratégicos. Diretrizes metodológicas: estudos de

avaliação econômica de tecnologias em saúde. 2ª ed. Brasília;

[acesso em 2015 abr. 16]. p. 17-86. Disponível em:

rebrats.saude.gov.br/diretrizes-metodologicas?download=62:estu

dos-de-avaliacao-economica-de-tecnologias-em-saude>

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e

Insumos Estratégicos. Diretrizes metodológicas: elaboração de

estudos para avaliação de equipamentos médicos assistenciais.

Brasília; 2013 [acesso em 2015 set. 22]. p. 19-66. Disponível em:

elaboracao-de-estudos-para-avaliacao-de-equipamentos-medicoassistenciais>

Souza RQ, Torres LM, Graziano KU, Turrini RNT. Microorganisms of the

Coccidia subclass: resistance and implications for the aseptic processing

of healthcare products. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [acesso

em: 2016 Dez. 10];46(2):466-71. Disponível em:

scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342012000200027&lng

=pt&tlng=pt>

Association of Official Analytical Chemists (AOAC). Official methods of

analysis. 15ª ed. Arlington, Virginia: Association of Official Analytical

Chemists; 1990. p. 141-2.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Resolução RDC nº 35, de 16 de agosto de 2010. Dispõe sobre o

Regulamento Técnico para produtos com ação antimicrobiana

utilizado sem artigos críticos e semicríticos. Diário Oficial da União.

; Seção 1:44-6.

Block SS. Disinfection, sterilization, and preservation. Philadelphia:

Lippincott Williams & Wilkins; 2001.

American National Standards Institute/Association for the Advancement

of Medical Instrumentation. Ethylene oxide sterilization in health care

facilities: safety and effectiveness. ST41:2008. Arlington; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução da Diretoria Colegiada

nº 15, de 15 de março de 2012. Dispõe sobre requisitos de boas

práticas para o processamento de produtos para saúde e dá outras

providências. Brasília; 2012 [acesso em 2017 jun. 15]. Disponível

em:

rdc0015_15_03_2012.html>

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14990-1: Sistemas e

materiais de embalagem para esterilização de produtos para saúde.

Parte 1: requisitos gerais. Rio de Janeiro: ABNT; 2004.

International Standard Organization (ISO). ISO 10993-1. Biological

evaluation of medical devices Part 1: Evaluation and testing. 2003.

Brasil. Decreto nº 2.657, de 3 de julho de 1998. Promulga a Convenção

nº 170 da OIT, relativa à Segurança na Utilização de Produtos Químicos

no Trabalho, assinada em Genebra, em 25 de junho de 1990. Brasília;

[acesso em 2017 jun. 15]. Disponível em:

gov.br/ccivil_03/decreto/D2657.htm>

American National Standards Institute/Association for the Advancement

of Medical Instrumentation/International Standard Organization.

Sterilization of healthcare products – Chemical indicators – Part 1

General requirements. 11140-1:2014. Arlington; 2014.

Veras BMG, Senna KMS, Correia MG, Santos MS. Análise de custo-efetividade

do reúso de cateteres de cinecoronariografia sob a perspectiva de uma

instituição pública no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública

[Internet]. 2013 [acesso em 2016 Dez. 10];29(Suppl. 1):s110-20. Disponível

em:

&lng=pt&tlng=pt>

Psaltikidis EM, Graziano KU, Frezatti F. Análise dos custos do

reprocessamento de pinças de uso único utilizadas em cirurgias vídeoassistida.

Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2006 [acesso em 2016

Dez. 10];14(4):593-600. Disponível em:

php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692006000400018&lng=pt&tlng=pt>

Agence d’évaluation des technologies et des modes d’intervention

en santé (AETMIS). Analyse comparative de la pasteurisation et de

la désinfection thermique dans un laveur-désinfecteur dispositifs

d’anesthésie et de soins Respiratoires. Canadá, 2009. ETMIS.

;5(7).

Psaltikidis EM, Frezatti F. Aplicação da Contabilidade de Custos no

Centro de Material e Esterilização. In: Graziano KU, Silva A, Psaltikidis

EM, (ed.). Enfermagem em Centro de Material e Esterilização. Barueri:

Manole; 2011. v. 1. p. 334-354.

Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health. Guidelines

for the economic evaluation of health technologies. 3ª ed. Ottawa:

Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health; 2006 [acesso

em 2014 dez. 01]. Disponível em:

pdf/186_EconomicGuidelines_e.pdf>

Silva EN, Galvão TF, Pereira MG, Silva MT. Estudos de avaliação

econômica de tecnologias em saúde: roteiro para análise crítica.

Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2014 [acesso em 2016 Dez.

;35(3):21. Disponível em:

v35n3/a09v35n3.pdf>




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1414-4425201700030009

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Kazuko Uchikawa Graziano, Paulo Roberto Laranjeira, Luiz Carlos da Fonseca e Silva, Jeane Aparecida Gonzalez Bronzatti, Rafael Queiroz de Souza, Giovana Abrahão de Araújo Moriya, Eliane Molina Psaltikidis

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia