Análise das variáveis ambientais em salas cirúrgicas: fontes de contaminação

Herriét de Araujo Sevilha, Lívia Silva Julião Paiva, Vanessa de Brito Poveda

Resumo


Objetivo: Analisar as variáveis ambientais que podem contribuir para a ocorrência de infecção do sítio cirúrgico em pacientes submetidos a cirurgias eletivas, em um hospital filantrópico. Método: Trata-se de estudo descritivo, observacional, transversal e com abordagem quantitativa, realizado entre 2011 e 2012. Resultados: Foram analisadas 23 cirurgias de diversas especialidades, com duração média de 54 minutos. As menores médias de temperatura e umidade do ar da sala operatória foram obtidas aos 140 minutos, com 21,3 °C de temperatura e 29% de umidade. Houve uma média de 5,69 pessoas em sala, sendo que a média de entradas e saídas foi de 4,34 pessoas. A porta foi aberta, em média, 12,6 vezes, e permaneceu aberta, em média, por 11,89 minutos. A touca, a máscara e o sapato foram utilizados de forma inadequada por parte dos presentes. Conclusão: Evidenciou-se que muitas atividades em sala de operação são realizadas de forma inapropriada, reforçando a necessidade de educação em serviço.

Palavras-chave


Salas cirúrgicas. Infecção hospitalar. Infecção da ferida operatória. Enfermagem.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Santos MLG, Teixeira RR, Diogo A Filho. [Infecção do sítio cirúrgico em pacientes adultos submetidos a cirurgias limpas e contaminadas em hospital universitário brasileiro]. Arq Gastroenterol. 2010;47(4):383-7. PMid:21225150.

Mangram AJ, Horan TC, Pearson ML, Silver LC, Jarvis WR, Committee THICP, and the Hospital Infection Control Practices Advisory Committee. Guideline for prevention of surgical site infection, 1999. Infect Control Hosp Epidemiol. 1999;20(4):250-78, quiz 279-80. http://dx.doi.org/10.1086/501620. PMid:10219875.

Ercole FF, Franco LMC, Macieira TGR, Wenceslau LCC, Resende HIN, Chianca TCM. Risco para infecção de sitio cirúrgico em pacientes submetido a cirurgias ortopédicas. Rev Lat Am Enfermagem. 2011;19(6):1362-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692011000600012.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização das mãos em serviços de saúde. Brasília: Anvisa; 2007 [acesso em 2012 Maio 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/higienizacao_maos.pdf.

São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Divisão de Infecção Hospitalar. Manual de orientações e critérios diagnósticos: sistema de vigilância epidemiológica das infecções hospitalares do Estado de São Paulo. São Paulo: Secretária de Estado da Saúde; 2012 [acesso em 2012 Nov 22]. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/manual_criterios_diagnostico_ih_hospital_geral_2012_1331926138.pdf

Dolinger EJ, Brito DV, Souza GM, Melo GB, Gontijo Filho PP. Contaminação do ar em salas cirúrgicas durante cirurgias de artroplastias total de quadril e joelho, hemiartroplastias e osteossínteses no centro cirúrgico de um hospital Brasileiro. Rev Soc Bras Med Trop. 2010;43(5):584-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822010000500023. PMid:21085875

Smith EB, Raphael IJ, Maltenfort MG, Honsawek S, Dolan K, Younkins EA. The effect of laminar air flow and door openings on operating room contamination. J Arthroplasty. 2013;28(9):1482-5. http://dx.doi.org/10.1016/j.arth.2013.06.012. PMid:23890828

Barbosa MH, Martini MMG, Teixeira JBA. Utilização de máscara facial cirúrgica descartável no ambiente cirúrgico. Rev Eletr Enf. 2009;11(2):275-9.

Brasil. Norma Regulamentadora 32. Segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde, de 16 de novembro de 2005. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; Brasília; 2005 [acesso em 2012 Maio 20]. Disponível em: http://portal.mte.gov.br/data/files/8A7C812D36A280000138812EAFCE19E1/NR-32%20(atualizada%20 2011).pdf.

Leão MTCA. NR 32 e os adornos em estabelecimentos de saúde. Prática Hospitalar. 2007;52:44-5.

McHugh SM, Corrigan MA, Hill ADK, Humphreys H. Surgical attire, practices and their perception in the prevention of surgical site infection. Surgeon. 2014;12(1):47-52. http://dx.doi.org/10.1016/j.surge.2013.10.006. PMid:24268928

Barreto RASS, Rocha-Vilefort LO, Souza ACS, Prado-Palos MA, Barbosa MA, Borges VPFN. Processo de limpeza da sala operatória: risco à saúde do usuário e trabalhador. Rev Eletr Enf. 2011;13(2):269-75. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v13i2.9191.

Braswell ML, Spruce L. Implementing AORN recommended practices for surgical attire. AORN J. 2012;95(1):122-37, quiz 138- 40. http://dx.doi.org/10.1016/j.aorn.2011.10.017. PMid:22201576

Association of Perioperative Registered Nurses – AORN. Recommended practices for sterilization. In: Association of Perioperative Registered Nurses – AORN. Perioperative standards and recommended practices. Denver: AORN; 2013. p. 513-40.. http://dx.doi.org/10.6015/psrp.12.01.e1.

Associação Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização – SOBECC. Práticas recomendadas SOBECC. 6. ed. São Paulo: SOBECC; 2013.

Allen G. Implementing AORN recommended practices for environmental cleaning. AORN J. 2014;99(5):570-9, quiz 580-2. http://dx.doi.org/10.1016/j.aorn.2014.01.023. PMid:24766919

Madeira MZA, Santana RAP, Santos AMR, Moura ECC. Prevenção de infecção hospitalar pela equipe cirúrgica de um hospital de ensino. Revista SOBECC. 2013;17(1):35-44.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Herriét de Araujo Sevilha, Lívia Silva Julião Paiva, Vanessa de Brito Poveda

Rev SOBECC, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2358-2871

Licença Creative Commons Revista SOBECC está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia